top of page
Buscar

Tudo que você precisa saber sobre o preenchimento com PMMA

Se você está pensando em dar aquele up no visual, provavelmente já ouviu falar sobre preenchimentos. Mas hoje vamos focar em um tipo específico: o preenchimento com PMMA. Vamos falar sobre o que é, como funciona e quais são os riscos que você deve ter em mente.


Foto Ilustrativa Preenchimento Facial

O que é PMMA?

PMMA, ou polimetilmetacrilato, é um material sintético usado em preenchimentos estéticos. Ele é um tipo de plástico biocompatível que tem sido utilizado em várias áreas da medicina há anos, principalmente para corrigir deformidades causadas pela perda de gordura em pessoas com HIV.


Como funciona o preenchimento com PMMA?

No mundo dos preenchimentos, o PMMA é utilizado para corrigir rugas, sulcos profundos e até para aumento de volume em áreas como bumbum e panturrilhas. Funciona assim: o produto é injetado na pele e, ao contrário de outros preenchimentos, o PMMA não é absorvido pelo corpo. Ele permite uma correção da região da pele afetada ou sem uniformidade de forma permanente, pois não é reabsorvida pelo organismo, como o ácido hialurônico ou o colágeno, por exemplo. 


Riscos do preenchimento com PMMA

Aqui é onde a gente precisa prestar bastante atenção. Apesar de suas vantagens, o PMMA vem com muitos riscos. Como ele não é absorvível, se houver qualquer problema, como infecção ou rejeição, a remoção pode ser complicada e dolorosa. Além disso, a aplicação incorreta pode resultar em nódulos ou deformidades.


Vale ressaltar que a Sciedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Sociedade Brasileira de Dermatologia não recomendam o preenchimento com PMMA para procedimentos estéticos.

Foto Ilustrativa Preenchimento Facial

PMMA vs. Ácido Hialurônico: Qual a diferença?

Agora, vamos comparar o PMMA com o ácido hialurônico, o queridinho dos preenchimentos.


  • Duração: O PMMA oferece resultados permanentes, enquanto o ácido hialurônico é absorvido pelo corpo em cerca de 6 a 18 meses.

  • Reversibilidade: Caso algo dê errado, o ácido hialurônico pode ser dissolvido com uma enzima chamada hialuronidase. Já o PMMA, por ser permanente, requer intervenção cirúrgica para remoção.

  • Riscos: Ambos têm riscos de infecção e reação inflamatória, mas os problemas com PMMA tendem a ser mais difíceis de resolver devido à sua permanência.

  • Naturalidade: O ácido hialurônico tende a proporcionar um aspecto mais natural e suave, enquanto o PMMA, se não for bem aplicado, pode resultar em um aspecto mais artificial.


Cuidados e considerações

O PMMA pode ser aquele famoso ditado "o barato sai caro". Diferente dele, o preenchimento com ácido hialurônico não é agressivo e pode ser fácilmente reversível, já que nosso prórpio organismo produz ácido hialurônico. É um pouco mais caro? Sim, mas quando se trata da sua saúde, pode valer muito a pena.


O preenchimento com PMMA pode oferecer resultados duradouros, mas vem com riscos que não podem ser ignorados e que são muito complicados de reverter.  Então é bom pensar duas vezes antes de optar pelo PMMA. Busque a orientação de um profissional confiável e responsável e prefira optar por um procedimento menos agressivo para o seu corpo, como com o ácido hialurônico.


E aí, pensou em fazer um preenchimento duradouro? É bom repensar sobre o assunto. Lembre-se que sua saúde deve vir em primeiro lugar e que o barato pode custar seu bem mais precioso: seu corpo e bem-estar.

Se você tem alguma experiência com o PMMA, conte para a gente nos comentários!

31 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page